sexta-feira, 15 de julho de 2011

Breakaway

Eu sei que você está ai esperando que alguma coisa aconteça, que o telefone toque ou a vida te surpreenda, é normal, eu também sou assim, eu também quero ser surpreendida a toda hora, eu também quero ser feliz toda hora, também sonho acordada, também me decepciono, também erro, e erro muito.

Também faço drama e choro a toa, também me torturo com minhas musicas tristes e meus pensamentos que voam longe.

É tanta coisa, é tanta saudade, é tanto medo de não ser boa o suficiente, é tanta briga com espelho, são tantas regras, tantos meios termos, tantas duvidas. A vida nos obriga a ser forte toda hora, a deixar pra lá coisas que nem deu tempo de conhecer direito, a dizer adeus querendo ficar, mas a vida ensina, ensina o valor do tempo, do beijo, do abraço, do carinho, ensina a perdoar, ensina a amar direito. A vida mostra, e se a gente não entende ela esfrega na cara.

Nem tudo é chegada, nem todo dia é verão, tudo que um dia chega um dia parte, ás vezes sem aviso prévio, sem despedidas, sem choro, algumas coisas se vão sorrindo pra que chore depois. A gente tem que crescer, tem que enfrentar as responsabilidades, responsabilidades não são legais. Não mesmo.

A gente vai crescendo, vai mudando e vai sofrendo, mas quando olhamos pra trás vemos como é bom mudar, como é bom conhecer coisas novas, é bom fechar um ciclo, é bom se renovar, e é melhor quando vemos as mudanças trazendo coisas boas, com cheirinho de história pra escrever, com gostinho de vida nova.


Chega uma hora que a gente cansa daqueles velhos amores, a velha rotina, os velhos lugares, é quando olhamos pra frente e vemos tudo novinho, e a gente joga tudo fora e para de se lamentar pros erros do passado, pros amores e dores do passado, esquece como é difícil aceitar mudanças e se liberta pra viver um novo capitulo, longe de tudo que um dia machucou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário